terça-feira, março 31, 2015

Vision of Excellence Award - Institute of Coaching


Prêmio de excelência concedido ao renomado psicólogo Daniel Goleman por sua inestimável contribuição ao desenvolvimento do COACHING. No Institute of Coaching da Universidade de Harvard. Eu estava lá prestigiando!!

Quem gosta de receita de bolo é a Dona Benta!



Quem gostaria que o seu médico aprendesse cirurgia apenas lendo um livro??? Livros são excelentes fontes de informação, mas para se tornar um profissional é preciso investir na carreira... Aprender com profissionais mais experientes, investir em supervisão, frequentar congressos científicos e também ler muito... Quem gosta de receita de bolo é a Dona Benta!!!

Neuroscience appliquée à la gestion

Neuroscience appliquée à la gestion

Prof. Armando Ribeiro ministère à la discipline de la psychologie appliquée à cours d'administration d'administration de l'Institut de l'éducation et -Insper recherche (2012). (Photo: archives personnelles). Comme le comportement organisationnel est multifactorielle, les neurosciences sont un des moyens les plus importants pour comprendre les hommes au travail. Quand on parle des émotions au travail et l'importance de l'intelligence émotionnelle des étudiants de l'étude apprendre les rudiments de neuroaprendizagem et la gestion du capital intellectuel.

"Nous ne serons pas limités par les informations que nous avons. Nous serons limités par notre capacité à traiter cette information ". (Peter Drucker)


Prof. Armando Ribeiro souligne l'importance des étudiants d'administration connaître le fonctionnement du cerveau, à travers les éléments de preuve courant produit par le comportement des neurosciences. Les principaux sujets inclus dans les études de comportement organisationnel et de psychologie appliquée à l'administration peuvent être fondées sur les conclusions des neurosciences, tels que la motivation, l'émotion, l'intelligence émotionnelle, la personnalité, la prise de décision, la résolution de problèmes, la communication interpersonnelle, le comportement du groupe, travail d'équipe, le leadership, les conflits et la négociation, la gestion du stress au travail et la qualité de vie au travail, entre autres.

«Société moderne éduque, qualifie, spécialisé propose des cours, des trains recrutement. Si les machines ont une maintenance, pourquoi les gens ne le font pas? Au moment où nous vivons cerveaux sont l'atout le plus précieux d'une entreprise!" (Miriam Leitão)


Prof. Armando Ribeiro était une des personnes interrogées pour l'article «Mystères de l'esprit. Comment peut neurosciences expliquer le comportement des consommateurs et comment ses concepts peuvent être appliqués à l'administration?" Manager Pro Journal (RAP) (Septembre / 2013, 36, n ° 327) du Conseil régional de São Paulo Administration (ARC-SP).

«Nous devons enseigner les dirigeants et les gestionnaires de l'avenir que la meilleure connaissance du fonctionnement du cerveau lui-même peut apporter un différentiel illimitée pour votre carrière professionnelle. Cette connaissance peut créer des environnements d'entreprise saines. " (Prof. Armando Ribeiro)

En savoir plus:

Neuromanagement - Harvard Business School Brésil

Mystères de l'esprit. Comment neurosciences peut expliquer le comportement des consommateurs et comment ses concepts peuvent être appliqués à la gestion. Magazine administrateur professionnel (RAP)

Google Translator

Neuroscience applied to Management

Neuroscience applied to Management

Prof. Armando Ribeiro ministering to the discipline of Psychology Applied to Administration course of Directors of the Institute of Education and Research -Insper (2012). (Photo: Personal Archive). As organizational behavior is multifactorial, neurosciences are one of the important ways to understand men at work. When talking about emotions at work and the importance of Emotional Intelligence of study students learn basics of neuroaprendizagem and management of intellectual capital.

"We will not be limited by the information we have. We will be limited by our ability to process this information. "(Peter Drucker)


Prof. Armando Ribeiro emphasizes the importance of Administration students know the functioning of the brain, through the current evidence produced by the neurosciences behavior. The main topics included in the studies of Organizational Behavior and Psychology Applied to Administration can be founded on the findings of neuroscience, such as motivation, emotion, emotional intelligence, personality, decision making, problem solving, interpersonal communication, group behavior, teamwork, leadership, conflict and negotiation, occupational stress management and quality of life at work, among others.

"Modern Company educates, qualifies, specializes offers courses, trains recruiting. If the machines have maintenance, why people do not? By the time we live brains are the most valuable asset of a company!" (Miriam Leitão)


Prof. Armando Ribeiro was one of those interviewed for the article "Mysteries of the mind. How neuroscience can explain consumer behavior and how its concepts can be applied to the Administration?" the Journal Manager Pro (RAP) (September / 2013, 36, No. 327) of the Regional Council of São Paulo Administration (CRA-SP).

"We have to teach leaders and managers of the future that the best knowledge of the workings of the brain itself can bring an unlimited differential for your professional career. This knowledge can create healthier corporate environments. " (Prof. Armando Ribeiro)

Read more:

Neuromanagement - Harvard Business School Brazil

Mysteries of the Mind. How neuroscience can explain consumer behavior and how its concepts can be applied to Management. Magazine Professional Administrator (RAP)

Google Translator

Neurociencia Aplicada a la Gestión

Neurociencia Aplicada a la Gestión

Prof. Armando Ribeiro ministrar a la disciplina de la Psicología Aplicada al curso de Administración de Directores del Instituto de Educación e Investigación -Insper (2012). (Foto: Archivo personal). Como el comportamiento organizacional es multifactorial, neurociencias son una de las formas importantes para entender los hombres en el trabajo. Cuando se habla de las emociones en el trabajo y la importancia de la inteligencia emocional de los alumnos cursan aprender conceptos básicos de neuroaprendizagem y la gestión del capital intelectual.

"No vamos a estar limitados por la información que tenemos. Estaremos limitados por nuestra capacidad de procesar esta información ". (Peter Drucker)


Prof. Armando Ribeiro hace hincapié en la importancia de los estudiantes de la Administración conoce el funcionamiento del cerebro, a través de la evidencia actual producida por el comportamiento de las neurociencias. Los principales temas que se incluyen en los estudios de Comportamiento Organizacional y Psicología Aplicada a la Administración pueden basarse en los hallazgos de la neurociencia, como la motivación, la emoción, la inteligencia emocional, la personalidad, la toma de decisiones, resolución de problemas, la comunicación interpersonal, la conducta del grupo, trabajo en equipo, liderazgo, conflicto y negociación, gestión del estrés laboral y la calidad de vida en el trabajo, entre otros.

"Empresa Moderna educa, califica, se especializa ofrece cursos, los trenes de reclutamiento. Si las máquinas tienen mantenimiento, por qué la gente no lo hacen? En el momento en que vivimos cerebros son el activo más valioso de una empresa!" (Miriam Leitão)


Prof. Armando Ribeiro fue uno de los entrevistados para el artículo "Misterios de la mente. ¿Cómo la neurociencia puede explicar el comportamiento del consumidor y cómo sus conceptos se pueden aplicar a la Administración?" el Manager Pro Diario (RAP) (septiembre / 2013, de 36, No. 327) del Consejo Regional de São Paulo Administración (CRA-SP).

"Tenemos que enseñar a los líderes y directivos del futuro que el mejor conocimiento del funcionamiento del cerebro en sí puede traer un diferencial libre durante su carrera profesional. Este conocimiento puede crear entornos corporativos más saludables ". (Prof. Armando Ribeiro)

Leer más:

Neuromanagement - Harvard Business School Brasil

Misterios de la Mente. ¿Cómo la neurociencia puede explicar el comportamiento del consumidor y cómo sus conceptos se pueden aplicar a la Dirección. Revista Administrador Profesional (RAP)

Google Translator

domingo, março 29, 2015

Colaboradores felizes no trabalho tendem a produzir mais e melhor

A felicidade faz sentido nos negócios: trabalhadores felizes tendem a ser mais produtivos e tornam a empresa para a qual trabalham mais lucrativa

Consultores, pesquisadores e profissionais que se dedicam ao estudo das relações de trabalho e do mundo corporativo já descobriram o diferencial dentro das empresas que deverão se manter competitivas no mercado no próximos anos: elas têm um ambiente de trabalho saudável, positivo e harmonioso. A equação é simples: trabalhadores felizes tendem a ser mais produtivos e, consequentemente, a empresa será mais lucrativa. 

A felicidade é essencial para reduzir a rotatividade de funcionários, o chamado "turnover", atrair e reter talentos, possibilitando inovação, criatividade e um desempenho acima da média da concorrência. "Há algumas décadas, as pesquisas realizadas pela área de comportamento organizacional e da psicologia aplicada à administração já sabem que o clima organizacional, ou seja, a satisfação dos colaboradores com o trabalho e a organização, é um dos fatores que mais afetam os indicadores de produtividade, engajamento, trabalho em equipe, criatividade e conduta ética", diz o psicólogo, professor e palestrante Armando Ribeiro, coordenador do Programa de Avaliação do Estresse da Beneficência Portuguesa de São Paulo. 

Diversos estudos também já demonstraram que o clima organizacional disfuncional ou negativo - aquele ambiente de trabalho que promove estresse crônico, percepção de injustiça e assédio moral - tem indicadores elevados de absenteísmo, rotatividade, desvio de conduta, afastamento por licença médica e acidentes ocupacionais. Os pesquisadores concordam que a felicidade faz sentido nos negócios, e os empregadores devem considerar esse fator se quiserem ter economia e empresas rentáveis.

Mais produtivos e criativos

Com o aparecimento da psicologia positiva nos Estados Unidos (2000), uma série de novos estudos começaram a apontar que empresas que promovem o bem-estar e a qualidade de vida dos colaboradores são empresas que florescem. Num estudo de meta-análise realizado pela Universidade da Califórnia, em Riverside, descobriu-se que trabalhador feliz é, em média, 31% mais produtivo, suas vendas são 37% mais elevadas e sua criatividade é três vezes maior do que a de outros colaboradores menos felizes.

Ainda segundo dados do estudo, realizado com 1,2 mil trabalhadores pelo Center for Positive Organizational Scholarship, os colaboradores com alta avaliação no fator bem-estar e qualidade de vida no trabalho tem desempenho 27% superior aos de colegas com índices menores (conforme percepção dos chefes), 125% menos esgotamento, 32% mais comprometimento com a organização e 46% mais satisfação com a atividade (independentemente do setor e da ocupação).

"Ao mesmo tempo, colaboradores infelizes produzem 40% menos e seu trabalho rende apenas o equivalente a dois dias úteis da semana. Isso, durante um mês, significa apenas oito dias de produção. E para uma empresa isso resulta em bastante perda de produção e lucratividade", afirma o coach José Roberto Marques, presidente do Instituto Brasileiro de Coaching (IBC).

Competição x colaboração

Muitas vezes, o estresse que recai sobre o funcionário é gerado propositadamente pela liderança despreparada, ou por fazer parte da cultura organizacional. É o que acontece, por exemplo, nas empresas que privilegiam um ambiente interno competitivo como forma de atrelar crescimento profissional ao alcance de metas agressivas entre seus profissionais. No longo prazo, esse excesso de competitividade interna gera inimizades, quebra de confiança, problemas de comunicação, falta de alinhamento, egoísmo e recusa em compartilhar informações estratégicas vitais para o caminhar da organização. 

Esse tipo de política interna tende a ser, invariavelmente, um tiro no pé. "No mundo corporativo, o mais usual é premiar com bônus os executivos dispostos a sacrificar os outros para que eles e as empresas, supostamente, saiam ganhando. É um contrassenso", avalia o antropólogo Simon Sinek, no livro "Por quê? Como motivar pessoas e equipes a agir" (ed. Saraiva). Não faz sentido reproduzir o clima externo de tensão e de medo no ambiente interno das corporações. "No lugar da competição, os líderes deveriam estimular a cooperação para construir bons resultados."

Entenda por que o estresse é prejudicial e o que você pode fazer para melhorar seu bem-estar

Especialista diz que ações que realizamos por vontade própria dão uma mãozinha para os genes encontrarem a sensação de saúde e bem-estar

Autora do livro A Ciência de Ser Feliz, a psicóloga Susan Andrews criou um macete para sintetizar a nova ciência hedônica (que busca entender a felicidade): genes + condições externas + atividades intencionais. As ações que realizamos por vontade própria, segundo ela, dão uma mãozinha para os genes encontrarem a sensação de saúde e bem-estar.

Susan é norte-americana e vive no Brasil desde 1992. Ela mora no Instituto Visão Futuro, que fundou em Porangaba, no interior de São Paulo. Lá, planta o que come, recicla todo lixo que produz e ajuda a comunidade local. Mas nem de longe leva uma vida tranquila e sem estresse. Envolvida em inúmeros projetos – é ambientalista, monja, antropóloga, socióloga e psicóloga –, ela dá mais de 200 cursos e palestras por ano. Formada pela Universidade Harvard, Susan desenvolveu uma série de técnicas para aliviar a tensão e controlar os efeitos dos hormônios produzidos durante situações de desgaste psicológico – o cortisol é o principal deles.

Lembrando que a palavra crise, em mandarim, significa "perigo" e "oportunidade", Susan acredita que é preciso transformar a raiva, o medo e a depressão em energia positiva para encontrar o centro da estabilidade em si mesmo e aprender a desenvolver o potencial pleno. 

– O estresse é a resposta do corpo a qualquer demanda quando forçado a adaptar-se à mudança. Trabalhamos muito, dispomos de menos tempo para o lazer e ficamos cada vez mais estressados – diz a autora. 

Segundo o psicólogo Armando Ribeiro, coordenador do Programa de Avaliação do Estresse da Beneficência Portuguesa de São Paulo, mais importante do que uma falsa noção de que tudo vai bem é o aumento da resiliência frente às adversidades. 

– Não é a ausência de problemas que traz felicidade, mas a forma como as pessoas lidam com os problemas – diz. 

Ser feliz, nesse sentido, não é apenas uma questão de sorrir o tempo inteiro, mas de como lidar com as lágrimas do caminho. 

Caminhos práticos do bem-estar: 

A lista da gratidão

— Existem inúmeras coisas na vida, grandes e pequenas, pelas quais podemos nos sentir gratos. Reflita sobre os acontecimentos da semana (ou do dia) e liste cinco fatos que aconteceram pelos quais você se sente grato. 

— Escreva uma carta de agradecimento para alguém a quem você nunca fez algo do tipo adequadamente. 

— Estudos realizados na Universidade da Pensilvânia, nos Estados Unidos, mostram que pessoas deprimidas que escreveram essas cartas semanalmente, durante seis semanas, sentiram-se menos deprimidas, mesmo tempos depois. O estudo mostrou que o simples ato de escrever, ainda que o conteúdo não tenha sido entregue, aumenta a sensação de bem-estar. 

Fazer o bem a alguém

— Ser bondoso e generoso reduz a depressão, leva à percepção mais positiva dos outros, promove a saúde, aumenta a autoconfiança, desenvolve um senso de significado e valor à vida. 

— Fazer o bem ativa os mesmos centros de prazer no cérebro que são estimulados por comida e sexo. 

Ioga e massagem

— Praticar ioga pode baixar os níveis de cortisol. Pesquisadores da escola de medicina Jefferson, nos Estados Unidos, coletaram amostras de sangue de iniciantes na prática e descobriram que, neles, o nível de cortisol (hormônio produzido no estresse) despencou imediatamente após a primeira aula. 

— Pesquisas demonstram que o aumento do toque da massagem pode aliviar a depressão e diminuir a incidência de resfriados, diarreia, asma, hepatite, dermatite, doenças cardiovasculares, dor crônica, insônia e estresse. 

Dormir o suficiente

— Outro modo de baixar o cortisol é dormir o suficiente. Qual a diferença entre dormir seis horas por dia e oito horas? Cinquenta por cento a mais de cortisol na corrente sanguínea, diz o bioquímico Shawn Talbot, autor do livro The Cortisol Connection.

A Ciência de Ser Feliz, Susan Andrews, Editora Ágora. 

Fonte: Jornal Zero Hora - Caderno ZH Vida

sexta-feira, março 27, 2015

O pulso ainda pulsa... Homem de gelo no Teatro Municipal

O pulso ainda pulsa... O seu corpo vai, mas a vida continua. Essa é a mensagem da ‪#‎BPSP‬ em parceria com a ‪#‎DM9DDB‬, que instalou o Homen de Gelo em frente ao Teatro Municipal, na capital paulista. Com o passar do tempo, o homem derrete, mas seu coração permanece intacto, pronto para quem precisa. Seja um doador. ‪#‎doevida‬ ‪#‎homemdegelo‬

Otro estrés no es normal y puede indicar problemas

Los lunes, muchas personas piensan dos veces antes de levantarse de la cama e ir a trabajar. Esto se puede considerar normal, la mayoría del tiempo, y explica por el ritmo de un fin de semana de la semana de reposo, fuera de la rutina habitual. El problema es cuando esta falta de voluntad persiste.

El desánimo, en algunos casos, puede ser uno de los síntomas de estrés, que pueden causar dolores de cabeza, síndrome del intestino irritable, déficit de atención. "Cuando vemos a esa persona falta de atención en la oficina o tener dificultad para concentrarse en una reunión, podemos venir a través de alguien que está experimentando el estrés", dice el psicólogo Armando Ribeiro, quien coordina el programa de evaluación del estrés del Hospital Beneficência Portuguesa de São Paulo.

Ribeiro dice que no todo el estrés es perjudicial para la salud. "En los casos agudos, es importante para el rendimiento, da que agarrar porque las hormonas que se producen en estos casos dejan a la gente en un estado de atención. El problema es cuando es crónica ".

Cuando uno está en un permanente estado de alerta, el cuerpo produce cantidades excesivas de adrenalina y cortisol y esto puede conducir a problemas físicos. "El cuerpo es con baja inmunidad y la gente es más propensa a los resfriados, por ejemplo. Combinado con vulnerabilidades genéticas, el estrés puede ser la clave de activación para los problemas que tendemos a desarrollar ", dice el psicólogo.

Explica que con las prisas de la vida cotidiana, se hace más difícil de ver cuando usted está pasando por esto. "Acabamos de reprimir los sentimientos, nuestra verdad interior, y cuando se trata, parece fuerte, en una explosión de una maldición o una enfermedad física", explica Iara Chalela Genovese psicólogo.

Investigadores de la Escuela de Medicina de Harvard, en Estados Unidos, indican que entre el 60% y el 90% de todas las consultas médicas en el mundo se deben a enfermedades relacionadas con el estrés.

"He llegado a mi límite, porque al unirse a la compañía, se enfermó. Tenía la sensación de estar en una caja de madera, atrapado, incapaz de comunicarse. Yo estaba temblando, la mandíbula de bloqueo y sintió ganas de llorar todo el tiempo ", dice un representante de ventas, que no quiso ser identificado.

Ella, que se sentía culpable y pensó que hacía todo mal en el lugar de trabajo, estaba haciendo terapia. "Se trata de ayudar mucho y todavía estoy en tratamiento. Lo aliviado me estaba siendo enviado lejos ", admite el ex empleado, quien fue despedido el jueves pasado.

En la terapia, Iara señala que es importante hacer hincapié en la persona que busca saber. "Hay muchas formas de hacerlo. El arte es uno de ellos. Uno puede dibujar, por ejemplo, para aliviar ", sugiere.

Pero Ribeiro advierte de que el lugar de trabajo debería ser más acogedor. "No utilice la persona que cuida y regresar a un ambiente tóxico de nuevo. Las empresas son verdaderas ollas a presión. Los empresarios tienen que invertir en la calidad de vida de los empleados, ya que se sabe que por cada $ 1 invertido en esta área, hay un retorno de 12 dólares ".

Fuente: A Tribuna
Google Translator

Other stress is not normal and may indicate problems

On Mondays, many people think twice before getting out of bed and go to work. This can be considered normal, most of the time, and explained by the pace of a weekend of rest week, out of the usual routine. The problem is when this unwillingness persists.

The discouragement, in some cases it may be one of the symptoms of stress, which can cause headaches, irritable bowel syndrome, attention deficit. "When we see that inattentive person in the office or having trouble concentrating at a meeting, we can come across someone who is experiencing stress," says psychologist Armando Ribeiro, who coordinates the stress evaluation program of the Beneficência Portuguesa de São Paulo.

Ribeiro says that not all stress is harmful to health. "In acute cases, it is important for performance, gives you grab because the hormones produced in these cases leave people in a state of attention. The problem is when it is chronic. "

When one is in a permanent state of alert, the body produces excessive amounts of adrenaline and cortisol and this can lead to physical problems. "The body is with low immunity and people are more prone to colds, for example. Combined with genetic vulnerabilities, stress can be the activation key to problems that we tend to develop, "says the psychologist.

He explains that with the rush of everyday life, it becomes more difficult to see when you are going through this. "We just repressing feelings, our inner truth, and when it comes, appears strong, in an explosion of a curse or a physical illness," explains Iara Chalela Genovese psychologist.

Researchers from Harvard Medical School in the United States, indicate that between 60% to 90% of all medical consultations in the world are due to disease related to stress.

"I reached my limit, because by joining the company, got sick. It had the feeling of being in a wooden box, stuck, unable to communicate. I was shaking, jaw locking and felt like crying all the time, "says a commercial representative, who does not want to identify.

She who felt guilty and thought he did everything wrong in the workplace, was doing therapy. "It's helping a lot and I'm still in treatment. What relieved me was being sent away, "admits the former employee, who was fired last Thursday.

In therapy, Iara points out that it is important to stress the person seeking to know. "There are many ways to do so. Art is one of them. One may draw, for example, to relieve "suggests.

But Ribeiro warns that the workplace should also be more welcoming. "No use the person taking care and return to a toxic environment again. Companies are true pressure cookers. Entrepreneurs have to invest in the quality of life of employees, as it is known that for every $ 1 invested in this area, there is a $ 12 return. "

Source: A Tribuna
Google Translator

Positive Psychologie hilft Menschen zu bauen ein glücklicheres Leben

Jeden Tag Menschen aufwachen in der Suche nach dem Glück von dem Wörterbuch als den Status eines voll und ganz zufrieden Bewusstsein definiert. Dieser Zustand ist aber ein Konzept, nicht bereit, variierend von Person zu Person. Welche Psychologie sagt, ist, dass, vor der Verfolgung Glück, müssen wir Wege finden, um sie zu säen zu entwickeln, wie die Psychologen Armando Ribeiro, Stress Assessment Program Koordinator des Beneficência Portuguesa de São Paulo. "Das wichtigste ist die Suche nach erhöhten Widerstandsfähigkeit der Not, das Wohlergehen und eine bessere Lebensqualität, die in einem echten Zustand des Glücks gipfeln wird", sagt er.

Diese Formel ist nicht so einfach, wie es klingt, hat aber in der Positiven Psychologie, Fachrichtung, das zu verstehen, was das Leben lebenswert, einen Verbündeten sucht. Die Psychologin erklärt, dass, durch meditative Praktiken (vor allem der Achtsamkeit oder Achtsamkeit, in englischer Sprache) und Selbstreflexion Übungen und Selbsterkenntnis, können Sie ein Leben voller Sinn und Zweck zu bauen.

Diese Konstruktion ist besonders willkommen - und nötig - in dem Moment, wenn die Stresspegel so hoch sind, chronischer Stress ist der große Feind der Wahrnehmung von Glück und ein wesentlicher Faktor für die Verarmung der Lebensqualität. Und wenn es keine Wahrnehmung von Glück für eine lange Zeit, kann ein wichtiges Zeichen dafür, dass etwas nicht stimmt. In solchen Fällen ist es notwendig, psychologische und medizinische Bewertung zu verstehen, was das Leben so schwer macht zu suchen. "Es ist nicht die Abwesenheit von Problemen, die Glück bringt, aber die Art, wie Menschen sich mit Problemen. Positive Psychologie arbeitet, um die Entwicklung vorsätzliche Aktivitäten zur Förderung der verstärkten Wohlbefinden verantwortlich ist ", sagt er.

Trotz der Forderung nach Psychotherapie oft motiviert, Krankheiten und Verhaltensstörungen durch die Positive Psychologie ist das Ergebnis umfangreicher behandeln. Der Psychologe sagt, dass die therapeutischen Strategien, die auf die Positive Psychologie traditionelle Psychotherapie oder spezielle Form für alle, die die Wahrnehmung von Glück, Wohlbefinden und die Lebensqualität zu erhöhen suchen, zu ergänzen. "Neben der Behandlung, was nicht gut läuft, können wir die persönlichen Stärken zu stärken", schließt er.

Quelle: Redação Mundo Positivo
Google Translator

Psychologie positive aide les gens à construire une vie plus heureuse

Chaque jour des gens se réveillent dans la poursuite du bonheur défini par le dictionnaire que le statut d'une conscience pleinement satisfaite. Cet état, cependant, un concept ne est pas prêt, variant de personne à personne. Ce que la psychologie est dit que, avant de poursuivre le bonheur, nous devons développer des moyens de semer, comme l'a expliqué le psychologue Armando Ribeiro, Stress coordinateur du Programme d'évaluation de la Beneficência Portuguesa de São Paulo. "Le plus important est la recherche de l'adversité accrue de résilience, bien-être et une meilleure qualité de vie, qui culminera dans un véritable état de bonheur," dit-il.

Cette formule ne est pas aussi simple qu'il y paraît, mais a en psychologie positive, branche d'étude qui cherche à comprendre ce qui rend la vie digne d'être vécue, un allié. Le psychologue explique que, grâce à des pratiques méditatives (principalement de l'attention ou de la vigilance, en anglais) et des exercices d'auto-réflexion et la connaissance de soi, vous pouvez construire une vie pleine de sens et le but.

Cette construction est particulièrement bienvenue - et nécessaire - au moment où les niveaux de stress sont si élevés de stress chronique est le grand ennemi de la perception du bonheur et un contributeur majeur à l'appauvrissement de la qualité de vie. Et quand il n'y a pas de perception du bonheur pendant une longue période, peut être un signe important que quelque chose cloche. Dans de tels cas, il est nécessaire d'obtenir une évaluation psychologique et médicale pour comprendre ce qui rend la vie si difficile. "Ce ne est pas l'absence de problèmes qui apporte le bonheur, mais la façon dont les personnes face aux problèmes. La psychologie positive travaille à développer des activités intentionnelles chargé de promouvoir l'amélioration du bien-être ", dit-il.

Malgré la demande de la psychothérapie souvent motivés pour traiter des maladies et des problèmes de comportement par la psychologie positive le résultat est plus complet. Le psychologue dit que les stratégies thérapeutiques basées sur la psychologie positive peuvent compléter la psychothérapie traditionnelle ou forme spécialisée pour tous ceux qui cherchent à augmenter la perception du bonheur, le bien-être et qualité de vie. "En plus de traiter ce qui ne va pas, nous pouvons renforcer les forces personnelles," conclut-il.

Source: Redação Mundo Positivo
Google Translator

Psicología Positiva ayuda a las personas a tener una vida más feliz

Todos los días la gente se despierta en la búsqueda de la felicidad se define en el diccionario como el estado de una conciencia plenamente satisfecho. Este estado, sin embargo, un concepto no está listo, que varía de persona a persona. ¿Qué dice la psicología es que, antes de perseguir la felicidad, tenemos que desarrollar formas de sembrarla, según ha explicado el psicólogo Armando Ribeiro, coordinador del Programa de Evaluación de Estrés de la Beneficencia Portuguesa de São Paulo. "Lo más importante es la búsqueda de una mayor capacidad de recuperación adversidad, el bienestar y una mejor calidad de vida, que culminará en un verdadero estado de la felicidad", dice.

Esta fórmula no es tan simple como suena, pero tiene en la Psicología Positiva, rama de estudio que trata de comprender lo que hace que la vida vale la pena vivir, un aliado. El psicólogo explica que, a través de prácticas de meditación (principalmente de la atención plena o mindfulness, en Inglés) y ejercicios de auto-reflexión y auto-conocimiento, usted puede construir una vida llena de significado y propósito.

Esta construcción es especialmente bienvenido - y necesario - en el momento en que los niveles de estrés son tan altos de estrés crónico es el gran enemigo de la percepción de la felicidad y el mayor contribuyente al empobrecimiento de la calidad de vida. Y cuando no hay percepción de la felicidad por mucho tiempo, puede ser una señal importante de que algo anda mal. En tales casos, es necesario buscar la evaluación psicológica y médica a entender lo que hace la vida tan difícil. "No es la ausencia de problemas que trae la felicidad, pero la forma en que las personas frente a los problemas. Psicología Positiva trabaja para desarrollar actividades intencionales responsable de promover el mayor bienestar ", dice.

A pesar de la demanda de la psicoterapia a menudo ser motivados para tratar enfermedades y problemas de conducta por la Psicología Positiva el resultado es más completo. El psicólogo dice que las estrategias terapéuticas basadas en la Psicología Positiva pueden complementar la psicoterapia tradicional o forma especializada para todos los que buscan aumentar la percepción de la felicidad, el bienestar y calidad de vida. "Además de tratar lo que no va bien, podemos fortalecer las fortalezas personales", concluye.

Fuente: Redação Mundo Positivo
Google Translator

Positive Psychology helps people build a happier life

Every day people wake up in the pursuit of happiness defined by the dictionary as the status of a fully satisfied consciousness. This state, however, a concept is not ready, varying from person to person. What psychology says is that, before pursuing happiness, we need to develop ways to sow it, as explained by the psychologist Armando Ribeiro, Stress Assessment Program coordinator of the Beneficência Portuguesa de São Paulo. "The most important is the search for increased resilience adversity, welfare and a better quality of life, which will culminate in a genuine state of happiness," he says.

This formula is not as simple as it sounds, but has in Positive Psychology, branch of study that seeks to understand what makes life worth living, an ally. The psychologist explains that, through meditative practices (mainly of mindfulness or mindfulness, in English) and self-reflection exercises and self-knowledge, you can build a life full of meaning and purpose.

This construction is especially welcome - and needed - at the moment when the stress levels are so high, chronic stress is the great enemy of the perception of happiness and a major contributor to the impoverishment of the quality of life. And when there is no perception of happiness for a long time, can be an important sign that something is wrong. In such cases, it is necessary to seek psychological and medical evaluation to understand what makes life so difficult. "It is not the absence of problems that brings happiness, but the way people deal with problems. Positive Psychology works to develop intentional activities responsible for promoting the increased well-being, "he says.

Despite the demand for psychotherapy often be motivated to treat diseases and behavioral problems by Positive Psychology the result is more comprehensive. The psychologist says that the therapeutic strategies based on Positive Psychology can complement traditional psychotherapy or specialized form for all who seek to increase the perception of happiness, well-being and quality of life. "In addition to treating what is not going well, we can strengthen the personal strengths," he concludes.

Source: Redação Mundo Positivo
Google Translator

quinta-feira, março 26, 2015

O pulso ainda pulsa... Homem de Gelo no Teatro Municipal de SP


O seu corpo vai, mas a vida continua. Essa é a mensagem da Beneficência Portuguesa de São Paulo em parceria com a DM9DDB, que instalou o Homem de Gelo em frente ao Teatro Municipal, na capital paulista. Com o passar do tempo, o homem derrete, mas seu coração permanece intacto, pronto para quem precisa. Seja um doador. ‪#‎DoeVida‬

terça-feira, março 24, 2015

Evento dos Porta Vozes da Beneficência Portuguesa de São Paulo

Prof Armando Ribeiro com Denise Santos, CEO da BPSP.

Evento dos Porta Vozes da Beneficência Portuguesa de São Paulo. Reuniu importantes lideranças da nossa instituição e contou com à presença de ilustres jornalistas. 

Prof Armando Ribeiro é psicólogo e coordenador do Programa de Avaliação do Estresse da Beneficência Portuguesa de São Paulo. Seu trabalho vem ganhando destaque na mídia nacional, principalmente relacionado a Gestão do Estresse, Bem-Estar e Qualidade de Vida.


Prof Armando Ribeiro com Eleonora Paschoal, jornalista da TV Bandeirantes.

Prof Armando Ribeiro com Milton Jung, jornalista da rádio CBN. 


Prof Armando Ribeiro com Manuel Coelho, superintendente de Marketing da Beneficência Portuguesa de São Paulo.


Prof Armando Ribeiro com o jornalista Milton Jung e Denise Santos, CEO da BPSP. Entre duas potências!!  


Colegas da BPSP, durante a confraternização do Evento dos Porta Vozes. 


Líderes das equipes médicas de todo o complexo hospitalar da BPSP. 


Talk show com Denise Santos e Milton Jung.


Lounge do Renaissance... Pra relaxar!!  


Sim... São reais!!! Tb mereço...

segunda-feira, março 23, 2015

Felicidade... Não é ausência de problemas...


Dia Internacional da Felicidade
20 de março de 2015

"Não é a ausência de problemas que traz felicidade, mas a forma como as pessoas lidam com os problemas."

Armando Ribeiro
Coordenador do Programa de Avaliação do Estresse da Beneficência Portuguesa de São Paulo

Evento dos Porta Vozes da Beneficência Portuguesa de São Paulo


Ser um psicólogo convidado para o evento especial dos PORTA VOZES do maior complexo hospitalar privado da América Latina e com mais de 150 anos de história... além de contar com a presença da CEO Denise Santos e dos destacados jornalistas Milton Jung, Eleonora Paschoal e Ciro Dias, não tem preço! Aliás, é o reconhecimento de que SAÚDE INTEGRAL não é somente ausência de doenças, mas do EQUILÍBRIO do corpo, mente, emoções e espiritualidade!

Prof Armando Ribeiro é psicólogo e coordenador do Programa de Avaliação do Estresse do Centro Avançado em Saúde da Beneficência Portuguesa de São Paulo (BPSP).

Estresse demais não é normal e pode indicar problemas


Às segundas-feiras, muita gente pensa duas vezes antes de levantar da cama e seguir para o trabalho. Isso pode ser considerado normal, na maioria das vezes, e explicado pelo ritmo de um fim de semana de descanso, fora da rotina habitual. O problema é quando essa falta de vontade persiste.


Esse desânimo, em alguns casos, pode ser um dos sintomas do estresse, que pode causar enxaquecas, síndrome do intestino irritado, déficit de atenção. “Quando vemos aquela pessoa desatenta no escritório ou que tem dificuldade de se concentrar numa reunião, podemos nos deparar com alguém que está passando por estresse”, explica o psicólogo Armando Ribeiro, que coordena o Programa de Avaliação do Estresse do Hospital Beneficência Portuguesa, em São Paulo. 

Ribeiro afirma que nem todo o estresse é prejudicial à saúde. “Nos casos agudos, ele é importante para o desempenho, te dá garra, pois os hormônios produzidos nestes casos deixam as pessoas em estado de atenção. O problema é quando ele é crônico”. 


Quando a pessoa fica em estado permanente de alerta, o corpo produz uma quantidade excessiva de adrenalina e cortisol e isso pode gerar problemas físicos. “O corpo fica com baixa imunidade e as pessoas ficam mais sujeitas a gripes, por exemplo. Aliado a vulnerabilidades genéticas, o estresse pode ser a chave de ativação para problemas que temos tendência a desenvolver”, conta o psicólogo.

Ele explica que com a correria do dia a dia, fica mais difícil perceber quando se está passando por isso. “Acabamos reprimindo os sentimentos, nossa verdade interior, e quando ela vem, aparece forte, numa forma de explosão, de um xingamento ou de uma doença física”, explica a psicóloga Iara Chalela Genovese. 

Pesquisadores da Harvard Medical School, nos Estados Unidos, apontam que entre 60% a 90% de todas as consultas médicas no mundo são motivadas por doenças ligadas ao estresse. 

“Cheguei ao meu limite, porque, ao entrar na empresa, passava mal. Tinha a sensação de estar numa caixa de madeira, presa, sem poder me comunicar. Tive tremedeira, travamento maxilar e tinha vontade de chorar o tempo todo”, conta uma representante comercial, que não quer se identificar. 

Ela, que se sentia culpada e achava que fazia tudo errado no ambiente de trabalho, foi fazer terapia. “Está ajudando muito e ainda estou em tratamento. O que me aliviou foi ter sido mandada embora”, confessa a ex-funcionária, que foi demitida na última quinta-feira. 

Além da terapia, Iara destaca que é importante a pessoa com estresse procurar se conhecer. “Existem muitos caminhos para isso. A arte é um deles. A pessoa pode desenhar, por exemplo, para se aliviar”, sugere. 

Mas Ribeiro alerta que o local de trabalho também deve ser mais acolhedor. “Não adianta a pessoa se cuidar e voltar para um ambiente tóxico novamente. Empresas são verdadeiras panelas de pressão. Os empresários têm de investir na qualidade de vida dos funcionários, pois sabe-se que para cada US$ 1 investido nesta área, há um retorno de US$ 12”. 

Fonte: Jornal A Tribuna (Santos)

quinta-feira, março 19, 2015

Psicologia Positiva ajuda pessoas a construírem uma vida mais feliz


Todos os dias pessoas acordam em busca da felicidade, definida pelo dicionário como o estado de uma consciência plenamente satisfeita. Esse estado, no entanto, não é um conceito pronto, variando de pessoa a pessoa. O que a psicologia diz é que, antes de perseguir a felicidade, precisamos desenvolver formas de semeá-la, como explica o psicólogo Armando Ribeiro, coordenador do Programa de Avaliação do Estresse da Beneficência Portuguesa de São Paulo. “O mais importante é a busca pelo aumento da resiliência frente as adversidades, do bem-estar e de uma melhor qualidade de vida, que culminarão em um estado de felicidade autêntica”, conta.

Essa fórmula não é tão simples quanto parece, mas tem na Psicologia Positiva, ramo de estudo que procura compreender o que faz a vida valer a pena, uma aliada. O psicólogo explica que, por meio de práticas meditativas (principalmente da atenção plena ou mindfulness, em inglês) e exercícios de autorreflexão e de autoconhecimento, é possível construir uma vida cheia de significado e propósito.

Essa construção é especialmente bem vinda – e necessária – no momento atual, quando os índices de estresse são tão altos, o estresse crônico é o grande inimigo da percepção da felicidade e um dos principais responsáveis pelo empobrecimento da qualidade de vida. E quando há ausência da percepção da felicidade por muito tempo, pode ser um importante sinal de que algo não vai bem. Nesses casos, é preciso buscar avaliação psicológica e médica para compreender o que torna a vida tão difícil. “Não é a ausência de problemas que traz felicidade, mas a forma como as pessoas lidam com os problemas. A Psicologia Positiva trabalha para desenvolver atividades intencionais responsáveis por promover o aumento do bem-estar”, diz.

Apesar da procura pela psicoterapia ser frequentemente motivada para tratar doenças e problemas comportamentais, através da Psicologia Positiva o resultado é mais abrangente. O psicólogo conta que as estratégias terapêuticas baseadas na Psicologia Positiva podem ser complementares a psicoterapia tradicional ou de forma especializada para todos que buscam aumentar a percepção de felicidade, do bem-estar e da qualidade de vida. “Além de tratar o que não vai bem, podemos fortalecer as forças pessoais”, conclui.

Fonte: Redação Mundo Positivo

quarta-feira, março 18, 2015

Equipe de Psicologia Hospitalar da Beneficência Portuguesa de SP... de casa nova!


Nossa casa está de cabeça pra baixo... Fui conferir as obras do novo espaço da Equipe de Psicologia Hospitalar da Beneficência Portuguesa de São Paulo. Novas instalações, novos serviços e aquela vontade enorme de levar o melhor da Psicologia a nossa população!!! Aguardem as novidades... Espero vocês lá!

Birra ou stress? Veja como lidar com as alterações de comportamento das crianças.


Segundo a International Stress Management Association (Isma-BR), 80% das crianças que buscam tratamento para alterações de comportamento têm como causa desses problemas o estresse. A doença é cada vez mais recorrente entre os pequenos e, por isso mesmo, exige muita atenção dos pais.

O medo, a ansiedade, a impaciência e a agressividade, quando em excesso, podem ser sintomas de estresse, inclusive nas crianças. “Geralmente, é difícil detectar que um filho está sofrendo de estresse, pois muitas vezes os sintomas são confundidos com a birra e a manha típicos do período”, explica a psicóloga e psicoterapeuta Walkyria Coelho, instrutora da Sociedade Brasileira de Programação Neurolinguística.

Segundo a especialista, os sintomas devem chamar a atenção quando se tornam crônicos e começam a limitar a convivência e a realização das atividades que a criança está acostumada a fazer, no dia a dia. Outro sinal de que a criança está estressada é a presença de sintomas físicos associados aos psicológicos, como diarreia, dor de cabeça, dor de barriga, falta de apetite, gagueira, hiperatividade, ranger de dentes e tiques nervosos.

Na maioria das vezes, o estresse dos pequenos está relacionado ao tratamento recebido por parte dos adultos com quem eles convivem, em casa ou na escola. “Muitas crianças são criadas como pequenos executivos, têm agendas cheias de atividades e quase nenhum tempo para simplesmente brincar e relaxar”, diz Armando Ribeiro, psicólogo e palestrante da área de Gestão do Estresse, Bem-Estar e Qualidade de Vida.

Dentro de casa, as crianças precisam sentir que suas necessidades serão atendidas, em um ambiente relativamente tranquilo. Também precisam contar com limites e uma rotina estruturada, o que aumenta nos pequenos a sensação de tranquilidade e segurança.

Na escola, é importante que as crianças não sejam sobrecarregadas e que problemas com professores ou colegas de classe sejam gerenciados e resolvidos rapidamente, para evitar prejuízos emocionais aos pequenos.

Para vencer o mal

Prestar atenção às queixas e aos sintomas apresentados pelas crianças é o primeiro passo para enfrentar a doença. “Muitas crianças sofrem sozinhas, pois os pais taxam o estresse de frescura, preguiça ou desculpa para não realizar as atividades da rotina. É preciso mudar essa cultura, em que os problemas emocionais ou psicológicos são desprezados antes mesmo de uma análise mais cuidadosa” diz Armando.

Observar a rotina da criança na escola é outra medida essencial. “A instituição deve ensinar princípios e valores semelhantes aos dos pais. Se dentro de casa os adultos ensinam a criança a agir de um jeito e se na escola ela aprendem algo diferente, esse será mais um fator gerador de estresse”, esclarece Walkyria. “Além disso, a escola deve fazer um treinamento contínuo dos professores para o desenvolvimento de habilidades socioafetivas”, complementa Ribeiro.

De acordo com os especialistas, a qualidade do tempo dedicado aos filhos também faz diferença no aparecimento e na erradicação do estresse infantil. “Atenção, carinho, amor e o estabelecimento de limites são os melhores antídotos e também os melhores remédios para o problema”, finaliza Walkyria.

Fonte: Via Saúde

Perfis de gastadores


Quatro padrões de consumo que podem comprometer o planejamento financeiro e como lidar com eles


Nos dias de hoje, o consumo é usado para criar identidades. Em outro tempos, esse era um papel exclusivo do trabalho: se uma pessoa dizia que era advogada (ou publicitária, ou sapateira, não importa), já era suficiente para que se construísse uma imagem de seu estilo de vida e circulo social. Como atualmente os caminhos do desenvolvimento profissional são variados e há muitas opções de produtos e serviços para comprar, muitas pessoas usam o consumo para se diferenciar e integrar os grupos sociais de interesse. O problema ocorre quando a vontade de criar um estilo de vida pelo consumo ultrapassa a renda. Aí, a pessoa pode esbarrar em alguns equívocos sem perceber. Dois psicólogos traçaram perfis perigosos de relação com o dinheiro. Confira se você se enquadra em algum deles e o que fazer para se readequar.

O ostentador

O hábito de ostentar revela preocupação em construir uma imagem baseada apenas em aparências. Para pessoas com essa atitude, mais importante do que ter sucesso é demonstrá-lo aos outros - e o caminho para isso é consumir.

Riscos - Ao escolher um carro para impressionar os amigos, mas inadequado à renda, você se arrisca ao endividamento, além de inviabilizar projetos de crescimento profissional e comprometer o patrimônio.

Como lidar - Crie o hábito de investir assim que o dinheiro entra na conta, para garantir projetos como pagar os estudos ou comprar um imóvel. "Além de poupar, é preciso avaliar os motivos que levam a uma valorização excessiva do consumo. São estratégias essenciais para não ser privado desse estilo no futuro", diz Armando Ribeiro, psicólogo e consultor.

O sofisticado

É o profissional que tem salário alto por muitos anos e se acostuma a um padrão de vida elevado. É até capaz de fazer uma boa poupança. A questão é se conseguirá manter o estilo sem o salário alto.

Riscos - Manter um padrão muito alto de consumo afeta os ricos também, que podem se ver privados, no fim da vida, do estilo que mantinham.

Como lidar - É preciso planejar para que o padrão de vida se mantenha. Independentemente da renda, deve-se fazer alguma poupança no presente em nome do futuro e qualificar-se para projetos profissionais alternativos, para não ficar à deriva em caso de demissão, por exemplo. "Nunca estar satisfeito consigo mesmo pode ser um risco. Sem identificar as origens da insatisfação, as chances de acabar no vermelho são altas", diz Armando.

O humilde demais

Algumas pessoas têm vida simples, mesmo quando a renda permite outro patamar de conforto. A princípio positiva, a atitude não deve ser excessiva.

Riscos - Ser muito conservador nas finanças pode levar a perdas de oportunidade. Essas pessoas também desfrutam menos de suas conquistas.

Como lidar - Investir em educação financeira para ganhar flexibilidade nos investimentos, diversificando as aplicações, e cultivar a ambição. "Indivíduos reservados tendem a ser mais cuidadosos e bem-sucedidos do que a maioria na gestão das finanças", afirma Daniela Zanuncini, psicóloga.

O falso simples

Muita gente mantém um estilo de vida pretensamente despojado, mas muito caro. Embora não ostente com grifes, esse perfil pode gastar bastante com prazeres como viagens, boa comida e bebidas. Luxo custa caro, mesmo quando não aparece.

Riscos - O risco é perder o controle dos gastos e se acostumar com um padrão de vida artificial.

Como lidar - É preciso aprender a dosar os jantares e as viagens - dois itens cujos gastos podem oscilar muito e escapar do controle. Se há dinheiro para esses dois hábitos, uma parte pode ser destinada à reserva financeira. "Pode ser uma experiência amarga ter de cortar de vez os gastos ou trocar de trabalho apenas motivado pelo salário", diz Daniela.

Fonte: Você S/A - Especial Organize Suas Contas

terça-feira, março 17, 2015

Caminho para a felicidade?


CUIDADO com o que pode estar atrapalhando o seu caminho para a felicidade! Às vezes, é preciso se livrar do peso desnecessário... dos desejos irreais... do orgulho excessivo... da falta de fé! Pode até descobrir que a felicidade não é um lugar pra se alcançar e que já estava dentro de si.

domingo, março 15, 2015

Vem pra rua... Avenida Paulista (São Paulo - SP)

 





O errado é errado... Mesmo que todo mundo esteja fazendo. O certo é certo... Mesmo que ninguém esteja fazendo!!! #ética #valores #Brasil

Ética... Quero... Posso... Devo...


Ética: valores que definem o que "quero" e "posso". Devo, porque nem tudo que eu quero eu posso, nem tudo que eu posso eu devo e nem tudo que eu devo eu quero. #ética #valores #Brasil

O certo é certo...


O errado é errado... Mesmo que todo mundo esteja fazendo. O certo é certo... Mesmo que ninguém esteja fazendo!!! #ética #valores #Brasil

quinta-feira, março 12, 2015

Ética Profissional... de longe, a melhor abordagem!


Uma vez um aluno me perguntou qual era a melhor abordagem psicológica frente ao sofrimento dos nossos pacientes. Imagino que ele estava pensando nas tradicionais abordagens (ex. TCC, Psicanálise e etc)... Com toda a certeza é a Ética Profissional!!! Sem ética qualquer abordagem está fadada ao fracasso... Sem ética o ganho se transformará em perda... #ética #psicologia #crpsp #cfp

terça-feira, março 10, 2015

Odeia segunda-feira? Pode ser resultado do seu tempo de lazer...

Depois das suas folgas, você sente que não descansou o suficiente? O problema pode não ser o pouco tempo que você permaneceu afastado do trabalho, mas o tipo de atividade escolhida para preencher as horas livres. Já parou para pensar nisso?

É segunda-feira, o expediente acabou de começar, mas o cansaço, a tensão muscular e os problemas de atenção, concentração e memória já estão batendo à porta? Se a resposta foi positiva, é hora de avaliar como tem gerenciado o seu tempo livre. “As pessoas chegam em casa e precisam descansar, mas geralmente vão para a frente do computador ou da TV. Com isso, o cérebro continua trabalhando e a sensação de estresse, ansiedade e insatisfação só aumenta”, explica Marcelo Demarzo, professor do Departamento de Medicina Preventiva da Universidade Federal de São Paulo.

Em pouco tempo, o que surgiu como um pequeno incômodo pode evoluir para problemas mais sérios, como hipertensão, alterações de humor, ansiedade e até depressão, conforme afirma Selma Bordin, psicóloga do Hospital Israelita Albert Einstein. Daí a importância de aprender a respeitar os limites do próprio corpo e aproveitar bem as horas de lazer. “Leia um livro que lhe dê prazer, pratique uma atividade física que lhe agrade ou vá ao cinema. Seja como for, preserve as horas de sono. É importante sair um pouco da rotina, mas também reservar espaço para o ócio”, orienta Demarzo.

Passar o fim de semana participando de compromissos sociais que não lhe trazem nenhuma satisfação, apenas para agradar amigos e parentes, também não ajuda a relaxar, de fato. “Cada um deve definir a própria agenda nos dias livres e escolher o que realmente é bom para si”, diz Demarzo.

Manter um estilo de vida saudável também é importante para combater o estresse e aumentar a disposição, segundo o psicólogo Armando Ribeiro, coordenador do Programa de Avaliação do Estresse da Beneficência Portuguesa de São Paulo. “Praticar atividade física regularmente, manter hábitos alimentares saudáveis e dormir bem, inclusive nos dias de folga, são atitudes fundamentais para diminuir o estresse e manter a energia em alta”, diz o especialista.

No mais, aprender a viver o momento presente é um bom exercício para cultivar uma vida cheia de significado e equilíbrio. “As práticas meditativas baseadas no mindfulness - atenção plena, em tradução livre - podem ser desenvolvidas durante as atividades cotidianas, como cozinhar, tomar banho, hidratar a pele e brincar com os filhos”, afirma Ribeiro. Basta se desligar dos aparelhos eletrônicos e de tudo o mais que estiver à sua volta e focar somente naquilo que está fazendo. Vale a pena tentar!

7 sinais que mostram quando o excesso de peso se tornou um problema

Cada vez é mais difícil conhecer alguém que esteja satisfeito com o próprio corpo, principalmente por causa de padrões estéticos impostos pela sociedade. Mas você sabe diferenciar quando os quilos a mais deixam de ser um problema de vaidade e se tornam prejudiciais à saúde? Para fazer um alerta, o Minha Vida separou sete sinais que revelam se o excesso de peso se tornou uma questão de saúde.

Em entrevista ao site, o cardiologista Carlos Alberto Machado, da Sociedade Brasileira de Cardiologia, disse que vivemos uma epidemia de excesso de peso. Tal tese pode ser comprovada pelo último levantamento feito pelo Ministério da Saúde, que revelou que quase metade da população do país tem o IMC acima do considerado ideal (entre 18,6 e 24,9).

Confira alguns dos sinais:

Gordura abdominal

De acordo com o endocrinologista Josivan Lima, da Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia (SBEM), além do histórico familiar, a circunferência abdominal do indivíduo pode favorecer ou reduzir o risco de desenvolver doenças crônicas, como o diabetes. "Um peso bem distribuído pelo corpo é menos prejudicial do que aquele concentrado na região abdominal", explica. Portanto, nem sempre uma pessoa com IMC acima do valor ideal tem maior predisposição a desenvolver essas doenças do que uma pessoa com IMC dentro do valor considerado saudável.
A gordura visceral (na região do abdômen) aumenta a produção de substâncias que favorecem o aumento da taxa de glicose, da pressão arterial e do colesterol ruim. Já a gordura subcutânea, que fica embaixo da pele, produz substâncias que promovem exatamente o efeito oposto: controlam essas níveis. O especialista afirma que uma cintura saudável para mulheres não deve ultrapassar os 88 centímetros e, para homens, os 102 centímetros.

Perda de roupas

Um bom alerta para quem está ganhando peso são as roupas. Se o que uma vez lhe serviu com folga agora já não entra mais, então é bom ficar de olho - mas sem exageros. Não existe um tamanho de roupas ideal, visto que cada pessoa tem uma estrutura corporal própria, então não adianta ter como modelo um tamanho de manequim muito inferior ao seu. Segundo o psicólogo Armando Ribeiro das Neves Neto, do Hospital Beneficência Portuguesa, o público feminino é o que mais sofre cobranças para ter o corpo perfeito e, nessa busca, muitas vezes criam padrões de beleza distorcidos e prejudiciais ao organismo. "Para avaliar se você está ou não acima do peso e se isso afeta sua saúde, busque parâmetros médicos e não opiniões sem qualquer embasamento", alerta.

Limitações

Antes, você caminhava certa distância e nem suava. Um tempo depois, percebeu que ficou exausto ao fim do mesmo trajeto. Mais para frente, não conseguiu realizar o percurso completo. "O ganho de peso impõe limitações cada vez maiores e isso pode ser percebido com o passar do tempo", afirma o endocrinologista Josivan. Só não interprete a dificuldade como um fracasso. Encare isso como um desafio para recuperar o condicionamento físico e busque auxílio profissional, pois o risco de lesões nas articulações é maior em pessoas com sobrepeso.


Fonte: Catraca Livre / Minha Vida