quinta-feira, outubro 30, 2014

Organizational Psychology and Labour will be represented in IV CBP / Psicología Organizacional y del Trabajo estarán representados en IV CBP

Organizational Psychology and Labour will be represented in IV Brazilian Congress on Psychology: Science and Profession

Professionals working in the area will reveal the diversity of practice through their presentations


Organizational and Occupational Psychology, better known as POT, has gained considerable prominence in recent years, partly due to the growth of the labor market and enhance quality of life in organizations and, secondly, by their academic development. IV Brazilian Congress on Psychology: Science and Profession (CBP), which takes place between 19 and 23 November in São Paulo (SP), the area will show their recent prominence through various professionals who will present their practices.
"The Organizational Psychology has always had a significant presence in Psychology. She has been a kind of duckling done when the focus of the training was mainly clinical and few in Brazil, dedicated themselves to their academic development, "says professor of psychology at PUC-SP and coordinator of the Center for Studies and Research in Labor and Social Action, Odair Furtado.
According to Furtado, until recently Organizational Psychology was relegated to the "do" organizational and usually the teachers in the area was "one of the labor market" which taught how to reproduce this: "Today we can say that she is a swan on stage growth ", celebrates, citing outstanding contributions as Wanderley Codo.

gestao_conhecimento
Expansion
This growth, according to Furtado, did not happen "out of nowhere", but through the organization of psychologists and psychologists in the area. An example is the construction of the Brazilian Society of Organizational and Occupational Psychology (SBPOT) and the construction of National Forum of the Brazilian Entities Psychology (FENPB), which has the participation of SBPOT. "That's where this occurs salutary integration resulting in events such as CBP," believes psychologist, who will present two papers at the IV CBP.
Expanding Organizational Psychology also has a relationship, according to Professor of Personnel Management in the Faculty of Nova Serrana (MG), Luiz Paulo Ribeiro, with appreciation of professionals in organizations, in close correlation with the management of people (GP) and paradigm shift to consider the employee as a person. "The growing number of psychologists in organizations only makes sense if we think that POT through the GP, has served organizations as a tool for achieving profits, minimize illnesses and impact of the changes and 'motivate' employees," he says.

Challenges
To Luiz Paulo, "the challenge of any psychologist POT is knowing counterbalance between organizational needs and desires of workers without losing or surrendering to the seduction of both." According to him, many professionals hurt the Code of Professional Ethics for the company, blaming the officials or employees.
A graduate student of Federal University of Santa Catarina (UFSC), Talita Caetano, who will also present three works in IV CBP, says his interest in the area has emerged graduation, during the stage which made for a junior company of the discipline of Psychology industry. According to her, there is still much prejudice against the area, so the importance of addressing it at a large event like Congressão.
"In general, students of psychology do not recognize the importance of the field, or do not come from integrative and more broadly, as if the POT was one.Relates very POT with capitalism, "says Talita. In his view, two scenarios present challenges for the area: the concept of Flexible market, which provides that a person acts in a more autonomous manner, but always in a contradictory way, "roughly speaking, is just a different way of doing the individual to reach the company's goals. " And yet the unbridled quest for qualification.
"From this new market environment, relationships between employees in organizations become increasingly individual and competitive. The individual, despite having some freedom to do their jobs, can not reconcile the other spheres of life such as the family, "explains Tracey.

Integration
In the case of a psychologist and public servant Alciane Barbosa, interest in POT came later, when he joined the Department of Human Resources Development, Federal University of Goiás (UFG). The relationship between work and mental health will compose one of his performances in IV CBP. "We decided to address the issue given the lack of knowledge of the internal and external community to UFG on the work done by psychologists of the institution with the teachers and technical and administrative staff", he explains.
According Alciane the world of work is changing and the challenge is to promote development in organizations in line with health and development workers. "The integration with the knowledge produced in other areas such as health, education and social psychology can contribute to this effect, enriching the POT. Discuss specific issues with people from other subfields of psychology and other fields of knowledge has always enriched my work, "he says.
An integration initiative was taken by the clinical and organizational psychologist Ana Moura Carolina, which has an advisory firm for bars and restaurants in the area of ​​human resources. "Since I graduated, working in human resources companies in the field of nutrition. However, I also have training and work as a clinical psychologist. With the goal of uniting the two professions rode my company and I can combine the two areas, and perform a job in the organizational area as I really believe, "he says. This, incidentally, will be the theme of his work in IV CBP, the "How Do I ..." entitled Gestalt Therapy in organizations: a challenge of Psychology.
Other work on the topic will be the psychologist Armando Ribeiro, Stress Management Consultant, Wellness and Quality of Work Life, which will be addressed in the CBP issue of occupational health as a strategic factor for the success of organizations and organizational cultures more healthy. "These are emerging issues that make the role of the psychologist in the increasingly critical organizations."
His discovery of Organizational Psychology came after more than fifteen years of service at the clinic, when people showed that part of their disease process came from the desktop. "The relationships in the workplace are being poisoned by unrealistic goals, incentives of a competitive environment and often the 'mobbing', to promote results at any price," he says.
On the other hand, Ribeiro highlights advances in Organizational and Occupational Psychology. This is the case, for example, the discovery, on the part of (the) psychologists (those) of actions that go beyond the traditional areas of Human Resources or the selection, recruitment and training activities in companies. "The Psychology sees that inside or outside organizations can contribute to career development, and psychological coaching, helping professionals achieve professional excellence and leadership in their professional activities," he concludes.

Source: CBP IV
Google Translate


Psicología Organizacional y del Trabajo estarán representados en IV Congreso Brasileño de Psicologia: Ciencia y Profesión

Los profesionales que trabajan en la zona revelan la diversidad de la práctica a través de sus presentaciones

Psicología Organizacional y del Trabajo, más conocido como POT, ha ganado una considerable importancia en los últimos años, en parte debido al crecimiento del mercado de trabajo y mejorar la calidad de vida en las organizaciones y, en segundo lugar, por su desarrollo académico. IV Congreso Brasileño de Psicología: Ciencia y Profesión (CBP), que tiene lugar entre el 19 y 23 de noviembre en São Paulo (SP), el área mostrará su reciente protagonismo a través de diversos profesionales que presentarán sus prácticas.
"La Psicología Organizacional siempre ha tenido una presencia significativa en Psicología. Ella ha sido una especie de patito hecho cuando el enfoque de la capacitación fue principalmente clínico y pocas en Brasil, se dedicaron a su desarrollo académico ", dice el profesor de psicología en la PUC-SP y coordinador del Centro de Estudios e Investigación en Trabajo y Acción Social, Odair Furtado.
Según Furtado, hasta hace poco Psicología Organizacional fue relegado a la organización y "hacer" por lo general los maestros en la zona era "uno de los mercado de trabajo", que enseña cómo reproducir este: "Hoy podemos decir que ella es un cisne en el escenario crecimiento ", celebra, citando las contribuciones pendientes como Wanderley Codo.

gestao_conhecimento
Expansión
Este crecimiento, según Furtado, no sucedió "de la nada", sino a través de la organización de psicólogos y psicólogos en la zona. Un ejemplo es la construcción de la Sociedad Brasileña de Psicología de las Organizaciones y el Trabajo (SBPOT) y la construcción del Foro Nacional de Entidades de Psicología del Brasil (FENPB), que cuenta con la participación de SBPOT."Ahí es donde se produce esta integración saludable que resulta en eventos tales como la CBP", cree el psicólogo, que presentará dos ponencias en la CBP IV.
La ampliación de la Psicología Organizacional también tiene una relación, según el profesor de Administración de Personal de la Facultad de Nova Serrana (MG), Luiz Paulo Ribeiro, con reconocimiento de los profesionales en las organizaciones, en estrecha correlación con la gestión de personas (GP) y cambio de paradigma a considerar al empleado como persona. "El creciente número de psicólogos en las organizaciones sólo tiene sentido si pensamos que POT a través del médico de cabecera, ha servido a las organizaciones como una herramienta para el logro de los beneficios, minimizar las enfermedades y el impacto de los cambios y de los empleados motivar", "él dice.

Desafíos
Para Luiz Paulo, "el reto de cualquier POT psicólogo es saber contrapeso entre las necesidades y los deseos de los trabajadores de la organización sin perder ni ceder a la seducción de ambos." Según él, muchos profesionales lastiman el Código de Ética Profesional para la empresa, culpando a los funcionarios o empleados.
Un estudiante graduado de la Universidad Federal de Santa Catarina (UFSC), Talita Caetano, quien también presentará tres obras en las zonas IV CBP, dice que su interés en la zona se ha convertido en la graduación, en la etapa que hizo para una empresa junior de la disciplina de la Psicología industria. Según ella, todavía hay mucho prejuicio en contra de la zona, por lo que la importancia de abordarlo en un gran evento como Congressão.
"En general, los estudiantes de psicología no reconocen la importancia de la materia, o no provienen de integración y, más ampliamente, como si el POT fue uno. Se relaciona muy POT con el capitalismo ", dice Talita. En su opinión, dos escenarios presentan desafíos para el área: el concepto de flexibilidad de los mercados, que establece que una persona actúa de una manera más autónoma, pero siempre de una manera contradictoria, "en términos generales, es sólo una forma diferente de hacer las el individuo para alcanzar las metas de la compañía ". Y sin embargo, la búsqueda desenfrenada para la calificación.
"A partir de este nuevo entorno de mercado, las relaciones entre los empleados de las organizaciones se vuelven cada vez más individual y competitivo. El individuo, a pesar de tener cierta libertad para hacer su trabajo, no pueden conciliar las otras esferas de la vida como la familia ", explica Tracey.

Integración
En el caso de un psicólogo y servidor público Alciane Barbosa, el interés en POT llegó más tarde, cuando se unió al Departamento de Desarrollo de Recursos Humanos de la Universidad Federal de Goiás (UFG). La relación entre el trabajo y la salud mental componer una de sus actuaciones en las zonas IV CBP."Hemos decidido abordar la cuestión ante la falta de conocimiento de la comunidad interna y externa a la UFG en el trabajo realizado por los psicólogos de la institución con los maestros y el personal técnico y administrativo", explica.
Según Alciane el mundo del trabajo está cambiando y el reto es promover el desarrollo en las organizaciones en línea con los trabajadores de salud y desarrollo. "La integración con el conocimiento que se produce en otros ámbitos, como la salud, la educación y la psicología social puede contribuir a este efecto, enriqueciendo el POT. Discuta problemas específicos con la gente de otros sub-campos de la psicología y otros campos del conocimiento siempre ha enriquecido mi trabajo ", dice.
Una iniciativa de integración fue tomada por el psicólogo clínico y organizacional Ana Moura Carolina, que tiene una empresa de asesoramiento para los bares y restaurantes en el área de recursos humanos. "Desde que me gradué, trabajando en empresas de recursos humanos en el campo de la nutrición. Sin embargo, también tengo formación y el trabajo como psicólogo clínico. Con el objetivo de unir a las dos profesiones cabalgaron mi compañía y yo podemos combinar las dos áreas, y llevar a cabo un trabajo en el área de organización como realmente creo ", dice. Esto, dicho sea de paso, será el tema de su obra en IV CBP, la Terapia Gestalt "¿Cómo puedo ..." derecho, en las organizaciones: un reto de la Psicología.
Otros trabajos sobre el tema será el psicólogo Armando Ribeiro, Consultor de Gestión del Estrés, bienestar y calidad de vida laboral, que se abordará en la edición de la CBP de la salud laboral como un factor estratégico para el éxito de las organizaciones y culturas organizacionales más saludable. "Se trata de cuestiones que hacen que el papel del psicólogo en las organizaciones cada vez más críticos emergentes."
Su descubrimiento de la Psicología Organizacional se produjo después de más de quince años de servicio en la clínica, cuando las personas mostraron que parte de su proceso de la enfermedad llegó desde el escritorio. "Las relaciones en el lugar de trabajo están siendo envenenados por objetivos poco realistas, los incentivos de un entorno competitivo y muchas veces el 'mobbing', para promover los resultados a cualquier precio", dice.
Por otra parte, Ribeiro destaca avances en Psicología Organizacional y del Trabajo. Este es el caso, por ejemplo, el descubrimiento, por parte de los (las) psicólogos (los) de acciones que van más allá de las áreas tradicionales de Recursos Humanos o de las actividades de selección, contratación y formación en las empresas. "La Psicología considera que las organizaciones de dentro y fuera pueden contribuir al desarrollo profesional y entrenamiento psicológico,ayudando a los profesionales a lograr la excelencia profesional y liderazgo en sus actividades profesionales", concluye.

Fuente: CBP IV
Google Translate

terça-feira, outubro 28, 2014

Psicologia Organizacional e do Trabalho estarão representadas no IV CBP

Profissionais que atuam na área irão revelar a diversidade da prática por meio de suas apresentações
Psicologia Organizacional e do Trabalho, mais conhecida por POT, ganhou considerável destaque nos últimos anos, por um lado devido ao crescimento do mercado de trabalho e à valorização da qualidade de vida nas organizações e, por outro, por seu desenvolvimento acadêmico. No IV Congresso Brasileiro Psicologia: Ciência e Profissão (CBP), que acontece entre 19 e 23 de novembro, em São Paulo (SP), a área mostrará seu recente protagonismo por meio de diversos profissionais que irão apresentar suas práticas.
“A Psicologia Organizacional sempre teve presença importante na Psicologia. Ela já foi uma espécie de patinho feito quando o enfoque da formação era eminentemente clínico e poucos, no Brasil, dedicavam-se ao seu desenvolvimento acadêmico”, relata o professor de Psicologia da PUC-SP e coordenador do Núcleo de Estudos e Pesquisa em Trabalho e Ação Social, Odair Furtado.
Segundo Furtado, até pouco tempo a Psicologia Organizacional ficava relegada ao “fazer” organizacional e, geralmente, os professores da área eram “alguém do mercado de trabalho” que ensinava como reproduzir esse fazer: “Hoje podemos dizer que ela é um cisne em fase de crescimento!”, comemora, citando excelentes contribuições como as de Wanderley Codo.
gestao_conhecimento
Expansão
Este crescimento, segundo Furtado, não aconteceu “do nada”, mas sim por meio da organização de psicólogos e psicólogas na área. Um exemplo foi a construção da Sociedade Brasileira de Psicologia Organizacional e do Trabalho (SBPOT) e a construção Fórum de Entidades Nacionais da Psicologia Brasileira (FENPB), que tem a participação da SBPOT. “É ali que ocorre essa salutar integração que resulta em eventos como o CBP”, acredita o psicólogo, que irá apresentar dois trabalhos no IV CBP.
A expansão da Psicologia Organizacional também tem relação, segundo o professor de Gestão de Pessoas na Faculdade de Nova Serrana (MG), Luiz Paulo Ribeiro, com a valorização dos profissionais nas organizações, em estreita correlação com a gestão de pessoas (GP) e a mudança de paradigma de se considerar o funcionário enquanto pessoa. “O crescente número de psicólogos nas organizações só faz sentido se pensarmos que a POT, por meio da GP, tem servido às organizações como ferramenta para alcance de lucros, de minorar adoecimentos e impactos das mudanças e de ‘motivar’ funcionários”, afirma.
Desafios
Para Luiz Paulo, “o desafio de qualquer psicólogo da POT é saber contrabalançar entre os desejos organizacionais e as necessidades dos trabalhadores sem se perder ou se entregar às seduções de ambos”. Segundo ele, muitos profissionais ferem o Código de Ética Profissional em favor da empresa, culpabilizando os funcionários ou colaboradores.
A mestranda da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), Talita Caetano, que também irá apresentar três trabalhos no IV CBP, conta que seu interesse pela área surgiu ainda na graduação, durante o estágio que fez em uma empresa júnior da disciplina de Psicologia da indústria. Segundo ela, ainda há muito preconceito em relação à área, por isso a importância de abordá-la em um evento de grande porte como o Congressão.
“Em geral, os alunos do curso de Psicologia não reconhecem a importância do campo, ou não o vêm de modo integrativo e mais amplo, como se a POT fosse uma coisa só. Relaciona-se muito a POT com o capitalismo”, diz Talita.  Em sua visão, dois cenários apresentam desafios para a área: o conceito de mercado flexível, o qual prevê que o indivíduo aja de uma maneira mais autônoma, mas sempre de forma contraditória: “a grosso modo, é apenas uma forma diferente de fazer com que o indivíduo alcance os objetivos da empresa”. E ainda a busca desenfreada por qualificação.
“A partir deste novo cenário de mercado, as relações entre os colaboradores das organizações tornam-se cada vez mais individuais e competitivas. O indivíduo, apesar de ter certa liberdade em realizar suas tarefas, não consegue conciliar as outras esferas da sua vida como, por exemplo, a família”, expõe Talita.
Integração
No caso da psicóloga e servidora pública Alciane Barbosa, o interesse pela POT veio mais tarde, quando passou a integrar o Departamento de Desenvolvimento de Recursos Humanos da Universidade Federal de Goiás (UFG).  As relações entre trabalho e saúde mental comporão uma de suas apresentações no IV CBP. “Decidimos abordar o tema diante da falta de conhecimento da comunidade interna e externa à UFG sobre o trabalho realizado pelos psicólogos da instituição junto aos servidores docentes e técnicos-administrativos”, explica.
Segundo Alciane, o mundo do trabalho está em constante mudança e o grande desafio é promover desenvolvimento nas organizações em consonância com a saúde e desenvolvimento dos trabalhadores. “A integração com o conhecimento produzido em outras áreas, como da saúde, da educação e da Psicologia Social podem contribuir neste sentido, enriquecendo a POT. Discutir questões específicas com pessoas de outras subáreas da Psicologia e de outras áreas do conhecimento sempre enriqueceu o meu trabalho”, diz.
Uma iniciativa de integração foi tomada pela psicóloga clínica e organizacional Ana Carolina Moura, que tem uma empresa de assessoria para bares e restaurantes na área de recursos humanos. “Desde que me formei, trabalho na área de recursos humanos em empresas do ramo da alimentação. Porém, também tenho formação e trabalho como psicóloga clínica. Com o objetivo de unir as duas profissões montei a minha empresa e consigo conciliar as duas áreas, além de realizar um trabalho na área organizacional como eu realmente acredito”, conta.  Esse, por sinal, será o tema de seu trabalho no IV CBP, o “Como eu faço…” intitulado Gestalt-Terapia nas organizações: um desafio da Psicologia.
Outro trabalho sobre o tema será do psicólogo Armando Ribeiro, consultor em Gestão do Estresse, Bem-Estar e Qualidade de Vida no Trabalho, que irá abordar no CBP a questão da saúde ocupacional como fator estratégico para o sucesso das organizações e de culturas organizacionais mais saudáveis. “São temas emergentes que tornam o papel do psicólogo nas organizações cada vez mais fundamental”.
Sua descoberta da Psicologia Organizacional veio após mais de quinze anos de atendimento na clínica, quando as pessoas mostravam que parte do seu processo de adoecimento vinha do ambiente de trabalho. “As relações no ambiente de trabalho vêm sendo intoxicadas por metas irrealistas, estímulos de um ambiente competitivo e muitas vezes do ‘mobbing’, a fim de promover resultados a qualquer preço”, relata.
Por outro lado, Ribeiro destaca avanços na Psicologia Organizacional e do Trabalho. É o caso, por exemplo, da descoberta, por parte das (os) psicólogas (os), de atuações que vão além das tradicionais áreas de Recursos Humanos ou das atividades de seleção, recrutamento e treinamento nas empresas. “A Psicologia vê que dentro ou fora das organizações pode contribuir para o desenvolvimento de carreiras, como coaching psicológico, auxiliando profissionais a alcançarem a excelência profissional e liderança em suas atividades laborais”, conclui.
Fonte: IV CBP

Prof Armando Ribeiro em visita ao campus da Harvard Business School

Prof Armando Ribeiro em visita ao campus da Harvard Business School.


Os prédios são referências as grandes famílias e empreendedores que possuem uma relação estreita com a história e apoio da Harvard Business School (HBS), aqui vemos a Bloomberg.


Placa em referência aos famosos estudos de caso da Harvard Business School. O estudo de casos de empresas reais representa um grande avanço no ensino da escola de negócios da Harvard. O prof Armando Ribeiro ao lecionar no Instituto de Ensino e Pesquisa - Insper em São Paulo / Brasil, utilizava os estudos de caso da Harvard Business School na disciplina de Psicologia Aplicada à Administração / Comportamento Organizacional oferecendo discussões de qualidade para a formação dos futuros administradores e lideres. 


Área externa da Harvard Business School.


Mapa do campus da Harvard Business School.


Área de convivência interna do prédio da Bloomberg da Harvard Business School. Elegância, conforto e um ambiente estimulante ao estudo e debate das grandes ideias do mundo corporativo.


Na Harvard Business School as paredes e objetos de decoração falam sobre o sucesso e a preparação necessária para se tornar um grande líder no mundo corporativo.

"I remember long nites [nights] and endless discussions with you, when we were not afraid to speak our minds and now i feel only the hush, hush, hush of our mutual silence." 




"Helping sons and dauthters of farm workers - migrant students - become entrepreneurs, investors, or manager will have a game-changing effect"
Making a difference
Harvard Business School


Fica claro na Harvard Business School a importância que se dá a preparação mental dos estudantes para atingirem o estado mental de liderança. O equilíbrio entre a razão e a emoção, o desenvolvimento de competências comportamentais (ex. liderança, ética, trabalho em equipe) são alguns dos segredos de sucesso por trás da Harvard Business School. Enquanto lecionava no Instituto de Ensino e Pesquisa - Insper, em São Paulo - SP, sempre defendi que o que faz diferença na carreira dos meus alunos não era apenas a excelência no domínio das ferramentas do mundo dos negócios (ex. ferramentas de gestão, econometria e etc.), mas sim o domínio de si-mesmo. Já em 2012, na sala de aula do Insper demonstrávamos aos estudantes de administração o efeito das emoções no cérebro e tomada de decisões, através de sofisticados equipamentos de neurofeedback para treinamento cerebral.


Prática intensiva de esportes (individuais e/ou coletivos) são comuns aos campus da 
Harvard e MIT.

segunda-feira, outubro 27, 2014

Prof Armando Ribeiro em visita o campus do MIT

 


Prof Armando Ribeiro visita o campus do Massachusetts Institute of Technology (MIT), localizado em Boston / Massachusetts (EUA), considerado uma das melhores universidades do mundo. O MIT é referência mundial no ensino, pesquisa e extensão nas áreas de engenharia, tecnologia e afins.




As instalações do MIT impressionam tanto quanto a ciência de vanguarda que suas salas e demais espaços abrigam. Andar pelos corredores e salas do MIT inspiram... Dos seus laboratórios são criados os equipamentos e tecnologias do futuro.   



Em um dos cartazes espalhados pelos corredores do MIT não podemos deixar de notar um que se refere ao Brasil. Os estudantes do MIT também estudam sobre o nosso país...

Prof Armando Ribeiro na 9a. Jornada Gaúcha de Psicologia Hospitalar


9a. Jornada Gaúcha de Psicologia Hospitalar
Inovações nas Práticas em Saúde
Emergências - Humanização - Avaliação - Paciente Crônico - Luto - Adesão ao tratamento

Auditório do Hospital Mãe de Deus
Porto Alegre / RS, 24 e 25 de outubro de 2014



Prof Armando Ribeiro foi um dos convidados para participar da 9a. Jornada Gaúcha de Psicologia Hospitalar e apresentou a conferência "Pioneirismo do Programa de Avaliação do Estresse da Beneficência Portuguesa de São Paulo. O que aprendemos?", atividade coordenada pela dra. Maria Lucia Tiellet Nunes (PUCRS).



Mais de 200 participantes entre estudantes, residentes de Psicologia Hospitalar, profissionais da Psicologia e convidados. As atividades foram realizadas no auditório do Hospital Mãe de Deus (Porto Alegre / RS) e promovido pela Sociedade Brasileira de Psicologia Hospitalar (Porto Alegre / RS).



Prof Armando Ribeiro também apresentou o tema "Práticas Integrativas e Complementares no SUS. Saúde e Espiritualidade" atividade coordenada pela dra. Alessandra Wolf (HU-SSMD/RS).



Durante o evento também houve a sessão de autógrafos do livro "Psicologia da Saúde. A prática da terapia cognitivo-comportamental em hospital geral" organizado pelas dras. Tânia Rudnicki e Marisa Sanchez.  O prof Armando Ribeiro escreveu o capítulo "Contribuições da Psicologia da Saúde, sob enfoque da Terapia Cognitivo-Comportamental, aplicada em Gastroenterologia". 

terça-feira, outubro 21, 2014

Saúde Emocional do canal FoxLife


Todas as emoções negativas se refletem no nosso corpo, afetando o sistema imunológico e provocando doenças e instabilidade. Em Saúde Emocional do canal FoxLife, uma equipe de médicos especialistas de diferentes áreas nos ensinam ferramentas para tirar o melhor das emoções e da influência que elas têm sobre o nosso organismo.


sábado, outubro 18, 2014

Medicina Integrativa foi tema no I Congresso Paulista de Fisioterapia em Oncologia e II Up to Date Fisioterapia no Câncer de Mama


Prof Armando Ribeiro apresentou a palestra sobre "Medicina Integrativa" no I Congresso Paulista de Fisioterapia em Oncologia e II Up to Date Fisioterapia no Câncer de Mama. Quem cuida do cuidador? Discutindo sobre estresse, burnout e resiliência na Fisioterapia.

"Falar é superficial, por mais profunda que seja a fala. 
Tocar é profundo, por mais superficial que seja o toque."
(A. Gaiarsa)

As Práticas Integrativas e Complementares em Saúde (PICs) / Medicina Integrativa / Cuidados Integrativos redescobrem que se usarmos a fala e o toque com o coração, não apenas cuidaremos do corpo ou das emoções, mas cuidaremos da pessoa como um TODO. 

O Prof. Armando Ribeiro é psicólogo, especialista da primeira turma em Bases da Medicina Integrativa pelo Instituto de Ensino e Pesquisa do Hospital Israelita Albert Einstein, capacitação em Gestão das Práticas Integrativas e Complementares pelo Ministério da Saúde - MS / Política Nacional de Práticas Integrativas e Complementares - PNPIC no SUS e "Integrative Mental Health" pelo Arizona Center for Integrative Medicine da The University of Arizona (EUA). Coordenador do Programa de Avaliação do Estresse do Centro Avançado em Saúde do Hospital São José da Beneficência Portuguesa de São Paulo.



Prof Armando Ribeiro com a comissão organizadora do  I Congresso Paulista de Fisioterapia em Oncologia e II Up to Date Fisioterapia no Câncer de Mama.



Auditório da UNIP campus Paraíso (São Paulo - SP) local onde foi realizado o  I Congresso Paulista de Fisioterapia em Oncologia e II Up to Date Fisioterapia no Câncer de Mama.

sexta-feira, outubro 17, 2014

Estresse e Arte no programa Vida Melhor da RedeVida


Cláudia Tenório, Cleto Baccic e Prof Armando Ribeiro

No programa Vida Melhor da Rede Vida conversamos sobre o estresse do dia-a-dia e o papel da arte na redução do estresse. O ator Cleto Baccic apresenta a peça "O homem de La Mancha" no teatro do Sesi (Av. Paulista).


Ator Cleto Baccic e o psicólogo Prof Armando Ribeiro

A vida imita a arte ou a arte imita a vida?

As terapias expressivas (ex. arte-terapia, musicoterapia e etc.) são estratégias importantes para a gestão do estresse. Através da produção artística ou mesmo da produção de textos, artesanatos, desenhos e quaisquer outras formas de expressão podemos reduzir os sintomas do estresse tóxico e mudar o foco mental dos problemas diários para novos pontos de vista. 

Sinopse do musical "O homem de La Mancha"

Um manicômio brasileiro no final dos anos 30. Um paciente é anunciado para internação. Apresenta-se como Miguel de Cervantes, poeta, ator de teatro e coletor de impostos. Chega na companhia de seu criado, Sancho.

Ele é abordado pelo Governador, louco que comanda os internos do hospital. O grupo ataca seus pertences e lhe subtraem suas poucas posses. Cervantes se preocupa apenas com um manuscrito, que é arremessado entre eles. Para dar a Cervantes a oportunidade de reaver seu manuscrito, o Governador instala um julgamento.

O Duque faz a acusação. Cervantes organiza sua defesa convidando os loucos a encenarem com ele uma peça de teatro.

É a história de D. Alonso Quijana, um velho fazendeiro aposentado, ávido leitor, desgostoso com os maus-tratos dos homens para com seus semelhantes. Melancólico com as injustiças do mundo e tomado pela loucura, imagina ser D. Quixote Senhor de La Mancha, um Cavaleiro Errante, atrás de aventuras que lhe permitam combater o mal, assistir os indefesos e praticar o bem.

Fonte: FIESP / SESI-SP

terça-feira, outubro 14, 2014

Debate "Morar no século XXI" conduzido pela jornalista Mônica Waldvogel


Participantes do debate "Morar no século XXI" do programa Projeto Família Sempre Protegida da BB e Mapfre. O debate foi conduzido pela jornalista Mônica Waldvogel e contou com a participação do psicólogo Armando Ribeiro, do urbanista Candido Malta, da pesquisadora Silvia Cervellini (Ibope Inteligência) e do presidente Marcos Ferreira (BB e Mapfre)


Armando Ribeiro, Cândido Malta e a jornalista Mônica Waldvogel.


 Armando Ribeiro e Mônica Waldvogel.


Armando Ribeiro e Cândido Malta.


Silvia Cervellini e Armando Ribeiro.


terça-feira, outubro 07, 2014

Morar no século XXI debate coordenado pela jornalista Mônica Waldvogel

Evento de lançamento do Projeto Família Sempre Protegida e debate Morar no século XXI

BB E MAPFRE inova com canal de distribuição e inédita forma de contratação de seguros no mundo

Marcos Ferreira, presidente do Grupo BB E MAPFRE nas áreas de Automóvel, Seguros Gerais e Affinities, convida para o evento de lançamento do Projeto Família Sempre Protegida, que inaugura, em nível mundial, uma nova forma de ofertar e contratar seguros.

O evento contará com a mesa-redonda “Morar no Século XXI”, com a participação do arquiteto e urbanista Candido Malta, Silvia Cervellini, diretora de Negócios de Serviços do IBOPE INTELIGÊNCIA, que apresentará pesquisa também inédita sobre o mercado de seguros brasileiro, além de Marcos Ferreira, presidente do Grupo BB E MAPFRE. [Prof Armando Ribeiro também será um dos debatedores do tema "Morar no Século XXI"]

Você poderá também já viver a experiência real de adquirir uma apólice de uma forma que deve representar a maior mudança cultural no mercado brasileiro de seguros desde o seu surgimento.

Serviço

Mestre de cerimônia e mediadora: Mônica Waldvogel

Debate: “Morar no século XXI”

Data: 14 de outubro de 2014 (terça-feira)

Programação

Welcome Coffee: 9h30

Abertura do evento: 10h

Mesa redonda “Morar no século XXI”: 10h15

Apresentação do Projeto: 11h30

Experiência de compra: 12h

Almoço com executivos do Grupo: 13h

Local: Edifício MAPFRE (Av. Nações Unidas, 11.711. São Paulo)

Fonte: CDN Comunicação

Managing Stress: Protecting Your Health | The Forum at HSPH

The Health Burden of Stress: What We Can Do About It | The Forum at HSPH

segunda-feira, outubro 06, 2014

The New Science of Resiliency and its Clinical Applications. Harvard Medical School. Massachussetts General Hospital.

The New Science of Resiliency and its Clinical Applications

Benson-Henry Institute for Mind Body Medicine
Massachusetts General Hospital
Harvard Medical School


A nova ciência da resiliência e suas aplicações clínicas apresenta um olhar mais abrangente sobre a ciência existente e nova de resiliência, o papel emergente da medicina corpo-mente em modelos de saúde na atualidade, e as aplicações clínicas mais eficazes de técnicas de construção de resiliência. Estamos honrados este ano para receber o renomado cientista do stress / resiliência, Bruce S. McEwen, PhD. O autor de mais de 600 artigos revisados ​​por pares, Dr. McEwen é incomparável em suas contribuições para a compreensão científica sobre a influência do estresse sobre a saúde e a doença. Os estudos revolucionários do Dr. McEwen e sua equipe de pesquisa continuam a elucidar o impacto do estresse sobre a estrutura do cérebro e a neuroquímica no cérebro. 

O objetivo geral do curso é aprofundar a compreensão de como o sistema de estresse influencia a saúde e a doença, e para aumentar as habilidades em práticas corpo-mente que atenuem o estresse. 

Os participantes serão capazes de: 

Reconhecer a base científica dos mecanismos do corpo-mente como eles se relacionam com a saúde e da doença (alostase e carga alostática). 
Atualizar sobre neuroimagem e alterações genômicas que se desenvolvem em resposta a elicitação da resposta de relaxamento. 
Descrever o papel emergente significativo da medicina corpo-mente no que se refere à saúde pública. 
Demonstrar habilidades em diversas abordagens corpo-mente, incluindo meditação, yoga, tai chi e mindfulness (atenção plena). 
Aplicar intervenções mente / corpo com os pacientes para o tratamento e prevenção da doença. 
Integrar tratamentos corpo-mente inovadores com populações especializadas de pacientes, incluindo os militares, crianças, comunidades de baixa renda, idosos e pessoas com condições específicas (câncer, problemas cardíacos, dor crônica, TEPT e outros). 
Descreva as estratégias ambientais que influenciam a saúde e resiliência. 
Pratique entrevista motivacional com os pacientes para apoiar a mudança de comportamento. 
Identificar burnout do cuidador e promover resiliência.


La nueva ciencia de la Resistencia y sus aplicaciones clínicas presenta una visión integral de la ciencia actual y nueva de la resistencia, el papel emergente de la medicina mente-cuerpo en los modelos actuales de atención de salud, y las aplicaciones clínicas más eficaces de las técnicas de fomento de la capacidad de recuperación. Nos sentimos honrados de este año para dar la bienvenida el estrés y la elasticidad científico de renombre mundial, Bruce S. McEwen, PhD. El autor de más de 600 artículos revisados ​​por pares, el Dr. McEwen tiene paralelo en sus contribuciones a la comprensión científica de la influencia del estrés en la salud y la enfermedad. Los estudios pioneros del Dr. McEwen y su equipo de investigación continúan para esclarecer el impacto del estrés en la estructura del cerebro y la neuroquímica del cerebro. 

El objetivo general del curso es profundizar en la comprensión de cómo el sistema de estrés influye en la salud y la enfermedad, y para aumentar las habilidades en prácticas corporales cuenta que mitigan el estrés. 

Al finalizar este curso, los participantes serán capaces de: 

Reconocer el fundamento científico de los mecanismos de la mente del cuerpo y su relación con la salud 
y la enfermedad (alostasis y allostatic carga). 
Resumir imágenes-actualizada cerebro y los cambios genómicos que se desarrollan en respuesta a la provocación de la respuesta de relajación. 
Describir el papel significativo emergente de la medicina mente-cuerpo y su relación con la salud pública. 
Demostrar habilidades en diversos enfoques cuerpo mente, incluyendo mediaciones rectores, el yoga, el tai chi y la atención plena. 
Aplicar intervenciones mente / cuerpo con los pacientes para el tratamiento y prevención de la enfermedad. 
Integrar innovadores tratamientos corporales mente con poblaciones especiales de pacientes, incluyendo los militares, los niños, las comunidades de bajos ingresos, ancianos y personas con condiciones específicas (cáncer, cardíacas, el dolor crónico, trastorno de estrés postraumático y otros). 
Describir las estrategias ambientales que influyen en la salud y la capacidad de recuperación. 
Practique la entrevista motivacional con los pacientes para apoyar el cambio de comportamiento. 

Identificar proveedor de agotamiento y mejorar proveedor de resiliencia.


The New Science of Resiliency and its Clinical Applications presents a comprehensive look at the existing and new science of resiliency, the emerging role of mind body medicine in current health care models, and the most effective clinical applications of resiliency-building techniques. We are honored this year to welcome world-renowned stress and resiliency scientist, Bruce S. McEwen, PhD. The author of over 600 peer-reviewed articles, Dr. McEwen is unparalleled in his contributions to the scientific understanding of the influence of stress on health and illness. The groundbreaking studies by Dr. McEwen and his research team continue to elucidate the impact of stress on brain structure and neurochemistry in the brain.

OBJECTIVES
The overall goal of the course is to deepen understanding of how the stress system influences health and illness, and to increase skills in mind body practices that mitigate stress.

Upon completion of this course, participants will be able to:

Recognize the scientific foundation of mind body mechanisms as they relate to health 
and illness (allostasis and allostatic load).
Summarize up-to-date brain imaging and genomic changes that develop in response to elicitation of the relaxation response.
Describe the emerging significant role of mind body medicine as it relates to public health.
Demonstrate skills in various mind body approaches, including guiding mediations, yoga, tai chi and mindfulness.
Apply mind/body interventions with patients for treatment and prevention of disease.
Integrate innovative mind body treatments with specialized patient populations, including the military, children, low-income communities, the elderly and those with specific conditions (cancer, cardiac, chronic pain, PTSD and others).
Describe environmental strategies that influence health and resiliency.
Practice motivational interviewing with patients to support behavior change.

Identify provider burnout and enhance provider resiliency.


Prof. Armando Ribeiro com Dr Herbert Benson
BHI Founder and Director Emeritus
Mind Body Medicine Professor of Medicine
Harvard Medical School


Prof Armando Ribeiro com Dr Bruce McEwen
Alfred E. Mirsky Professor of Neuroscience
Rockefeller University


Prof Armando Ribeiro com Dr Gregory Fricchione
Director of BHI
Professor of Psychiatry, HMS


Prof Armando Ribeiro com Dr John Denninger
Director of Clinical Research, BHI
Instructor in Psychiatry, HMS


Prof Armando Ribeiro com Dr Walter Willett
Chair, Department of Nutrition
Harvard School of Public Health


Prof Armando Ribeiro com Peg Baim, MS, NP
Clinical Director of Training, BHI


Prof Armando Ribeiro com Kathleen Miller, PhD e Joanne Rowley, MS
Mindfulness
MGH Wellness Center


Prof Armando Ribeiro com Ann Webster, PhD
RR Techniques for Inner Stillness
Associate in Psychiatry and Instructor in Medicine
Harvard Medical School
Director, Mind Body Program for Cancer and the Mind Body Program for Successful Aging, BHI


Prof Armando Ribeiro com a diretora Shannon Harvey 
The Connection Documentary


Prof Armando Ribeiro com Dr Herbert Benson
BHI Founder and Director Emeritus
Mind Body Medicine Professor of Medicine
Harvard Medical School